Brasil já registra assalto a jogador de Pokémon GO


Pontos turísticos do Recife abrigam ginásios Pokémon (Foto: Luann Peixe/Reprodução/Niantic)
O que muitos temiam, após o lançamento de Pokémon GO no Brasil, não demorou a acontecer: um jovem de 14 anos, morador de Vila Velha, no Espírito Santo, teve o celular roubado quando saiu com um amigo para capturar pokémons na rua.

O crime ocorreu por volta das 20h30 no centro da cidade, quando o adolescente saiu com um amigo pelas ruas do bairro para encontrar mais pokémons. No entanto, ele foi abordado por um bandido armado, que roubou o celular dele. O amigo se assustou e correu.

A família afirmou que vai registrar Boletim de Ocorrência nesta quinta-feira (4). Os nomes das vítimas não foram divulgados a pedido da família.

Veja como funciona o game que é fenômeno nos celulares

As preces dos treinadores brasileiros foram atendidas, e "Pokémon Go" enfim foi lançado no Brasil na noite de quarta-feira (3). Mas se você ainda não entendeu do que se trata, o G1 explica aqui no Blog do Esmael Teixeira o basicão do game de smartphones para você começar sua própria coleção de monstrinhos de bolso. 

Disponível para aparelhos Android (clique aquipara baixar) e iOS (clique aqui para baixar), "Pokémon Go" usa dados do Google Maps para espalhar monstrinhos, PokéStops e ginásios pelas ruas da sua cidade.

Os pokémons aparecem aleatoriamente pelo mapa, respeitando um nível de raridade e algumas condições geográficas. Monstrinhos de água, por exemplo, tendem a surgir perto de rios, lagos e mares.

A ideia é que você ande por aí para encontrá-los e capturá-los. E para isso, basta arrastar a pokébola que aparece na parte de baixo da tela na direção do pokémon.

Algumas criaturinhas são mais difíceis de pegar. Mas conforme os treinadores jogam, novas pokébolas mais eficazes também ficam disponíveis.
(VALE ESTE) 'Pokémon Go' já funciona na redação do G1, em São Paulo (Foto: Marcelo Brandt/G1)
(VALE ESTE) 'Pokémon Go' já funciona na redação do G1, em São Paulo (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Já os estabelecimentos comerciais e outros pontos urbanos se transformam nas PokéStops, locais fixos onde os treinadores podem coletar periodicamente (e gratuitamente) mais itens. As PokéStops são parada obrigatória para reabastecer o seu estoque de pokébolas e incensos – este último atrai mais pokémons para sua localização.
Brasil já registra assalto a jogador de Pokémon GO Brasil já registra assalto a jogador de Pokémon GO Reviewed by Esmael Teixeira on 8/04/2016 Rating: 5

Sem comentários