Com militares, será possível detectar corrupção em prisões, avalia governo

O governo avalia que o envio das Forças Armadas para revista nos presídios vai funcionar como "divisor de águas". A partir dessas ações, ficará claro a responsabilidade dos estados no controle das penitenciárias.

Para integrantes do governo, assim, será possível encontrar casos de corrupção de agentes públicos que acabam permitindo a entrada de drogas, armas e celulares nas cadeias.

A estratégia é fazer vistorias e com repetição em intervalos diferentes nos  mesmos presídios. Caso se encontre grande número de armamento, drogas e celulares após a primeira revista, o governo avalia que isso explicitará a responsabilidade dos agentes públicos.

Na avaliação de um auxiliar do presidente Temer, principalmente os estados com menor estrutura vão recorrer desse apoio das Forças Armadas.



REBELIÃO

(Foto: Frankie Marcone/Futura Press)
O sistema prisional do Rio Grande do Norte registra mais uma rebelião e mais um preso assassinado. Aconteceu na noite desta quarta-feira (18) na Penitenciária Estadual do Seridó, o Pereirão, em Caicó, cidade da região Seridó do estado. Segundo a Coordenadoria de Adminsitração Penitenciária (Coape), além do preso morto outros sete detentos foram feridos. O preso morto ainda não foi identificado. De acordo com a Coape, a situação foi controlada por volta das 22h10.

Segundo Zemilton Silva, diretor da Coape, os presos do Pavilhão B quebraram um portão, entraram em uma área onde antigamente funcionava a cozinha da unidade e quebraram tudo. Guariteiros atiraram para conter maiores ações.

Os presos ainda atearam fogo em objetos e estão no teto da unidade empunhando bandeiras. Há muito fogo. O carro do Corpo de Bombeiros precisou reabastecer.

O Pereirão tem capacidade para 257 homens; havia em dezembro 297. A capacidade para mulheres é de 56; há 53. Os dados são do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
Com militares, será possível detectar corrupção em prisões, avalia governo Com militares, será possível detectar corrupção em prisões, avalia governo Reviewed by Esmael Teixeira on 1/19/2017 Rating: 5

Sem comentários